Decisões

Qualquer coisa que possa nos acontecer, acordarmos inchados, decorados por bolinhas rosas pelo corpo todo, os olhos lacrimejantes ou com uma enorme dor de cabeça, sempre tem alguém para decretar taxativamente: alergia.
E o inevitável diálogo.
- O que tu comeste ontem?
- Camarão.
- Bingo! Aí está a causa.
- Mas eu como camarão há 50 anos ...
- Uma hora ela começa, qualquer hora. Alergia é assim mesmo.
Poderia ser outra coisa, como pimenta ou peixe. Mas na ordem da rigorosa lista das alergias, famosa e incontestável, camarão ocupa solenemente o primeiro lugar.
Caso na outra semana apareçam os mesmos sintomas e a vítima não tenha comido o delicioso bichinho cheio de pernas, sem problemas:
- Sem camarão ontem? Hummmm... o que foi na janta?
- Sanduíche de queijo minas e pão preto.
- Só?
- Só.
- Tem certeza?
- Claro. Só pão, queijo e uma pimentinha...
- Áhhhhh, eu sabia...
Resolvido também. Na falta de camarão, serve a pimenta. E não acaba aí. Se não tiver nenhum dos dois, poderia ser qualquer outra coisa. A lista é infinita. Uma questão intrigante: e se o inchado e cheio de bolinhas estivesse de jejum?
 Pois seria assim:
- Jejum? Não comeu nada mesmo?
- Só água.
- Água?
- Mineral, fervida, filtrada e sem gás.
- Nem um caldinho de feijão?
- Nada. Passei o dia embaixo de uma árvore meditando sobre a transcendência divina...
- Árvore, que árvore?
- Arueira.
- E tu disse boa noite quando chegou embaixo dela?
- Não, até por que era de dia....
- Rááá... Quanta ingenuidade.
Pois é isso mesmo. Se a lista não puder explicar pelo estômago, explica pelo sobrenatural. Se alguém chegar em baixo de uma árvore dessas e não dar bom dia ou boa noite ao contrário, bingo novamente, alergias na certa.
Sabem qual a conclusão de tudo isso? Não existe um padrão, uma regra, uma causa. Tudo pode ser motivo, qualquer coisa. Se o cara que comeu o camarão, por exemplo, comer novamente e não tiver alergia alguma, certamente ouviremos um "assim como começa, termina". Isso é simplesmente sensacional e me levou a uma resolução de ano novo em abril: eu mesmo vou escolher minhas alergias. 
Isso mesmo. A partir de hoje, elas serão criadas por mim e mais ninguém. Farei minha própria lista: abobrinha, chuchu e chocolate hidrogenado já estão lá. Cerveja quente, vinho sem rolha e uisque criança (no mínimo adolescente ele tem que ser) também estarão.
Nem acabei de escrever ainda e tomei um cafezinho descafeinado, e já começaram a aparecer bolinhas amarelas. Vai para a lista. E vou ampliá-la para o caso de jejum (se bem que ficar sem comer também me deixa todo inchado) e colocar político ladrão (isso não é redundância?), gente prepotente e livro de auto-ajuda.
Perfeito. Gostei disso. Vou parar por que textos longos sem necessidade me dão uma vermelhidão cutânea impressionante, e ainda começo a torcra sa lteras.

9 comentários:

Germano Xavier disse...

Estes seus textos mais irônico-brincalhões por ora me lembram o Zé Simão, da Folha de São Paulo.

Abraço forte, Beto.
Continuemos...

Lorena disse...

hahahaha! É verdade isso do camarão. Pra você ver, a única vez que eu, pobre lascada, tive a oportunidade de comer lagosta, fui terminantemente proibida pela minha mãe, porque eu tinha essa tal alergia impertinente e voluntariosa (que ia e vinha quando bem entendia) a camarão... Camarão; e a lagosta pagou o pato. E eu que saí perdendo.
Portanto, desde o momento em que pude responder pelos meus atos (e comprar meus próprios anti-histamínicos) eu passei a comer tudo que eu bem entendesse, e esqueci dessa história da alergia... resultado? Posso me empanturrar de camarão, que nem sinal de vermelhidão e inchaço.

E de hoje em diante tenho alergia a beterraba e rúcula, além de políticos corruptos e livros de auto-ajuda tb.

abraços, beto.

Beto Canales disse...

Poxa, Germano. Sinto-me elogiado.
Lorena, viva a fase adulta. hehe

Luiz Calcagno disse...

"Todo mundo explica tudo, como a luz acende, como o avião pode voar..." Acho que conhece isso. Abraços.

Afobório. disse...

Sempre ótimo.

Blogosfera no poder!

que tal?

sorte e luz.

Éverton Vidal disse...

Putz E não é que você acertou. Alergia? Comeu camarão? Quando não é castanha-do-Pará... E alguém sempre encontra alguma coisa.

Abraço. Inté.

Afobório. disse...

Beto, te lembra do que me disse um dia, quando comentou o meu blog, você me deu a letra, você me disse que aqui existia qualidade e sonhos.
eu aprendi com cada um desse lugar que sorrisos são as coisas mais caras do mundo, e que oportunidades são raras, mas que podemos criar oportunidades.
que as cabeças giram o tempo todo, que não existe nada melhor que produzir, que transformar.
você me disse quando fui selecionado para minha primeira publicação que isso era muito importante, que quando isso aconteceu contigo, isso mudou a tua vida.
quando escrevo e uso o Blindado, estou muitas vezes dizendo o que me tornei, graças a você, e graças ao meu amor e tantas outras pessoas por aqui.
hoje em dia, sou um homem gigante, que é mais feliz que criança rica.
hoje, sei que exportar publicidade para fora do Brasil, não se compara a vontade de fumar um cigarro, nem com a alegria que viver perto de quem me ajuda e me ensina, me dá oportunidade, me faz ser uma pessoa que tem vontade de ser um anjo.

sorte e luz.

Letícia disse...

Beto,

Eu gostei muito. Eu ri demais. Você e essas verdades. Queria assistir a um filme com você só pra ouvir seus comentários. =)

E eu tenho uma alergia ridícula. Não posso ver uma formiga que fico com bolinhas avermelhadas pelo corpo.

Bjs.

.Dazinha. disse...

hahahahaha suas crõnicas são as melhores.

é que nem dor em qualquer região proxima a barriga, se não for apendicite é gases, sempre gases!
ahauhuhauhuah

:*