Nem tudo é piada

Assunto sério. Não gosto muito dessa coisa formal, mas, infelizmente, se faz necessário que eu aborde um assunto sisudo neste texto, até porque eles fazem parte de nossa vida e, acho que com um pouco de exagero, regem nossa própria existência. Ninguém decide nada importante com piadas ou uma gracinha qualquer.
Antes, se faz necessária uma confissão: sou a segunda pessoa mais esquecida do mundo. Faço coisas inimagináveis e, pior ainda, às vezes não faço. Coisa normal comigo é esquecer de colocar o cinto, por exemplo, e ficar o dia todo com as calças caindo. Mas isso não é nada, perto do que aconteceu numa tarde dessas, quando esqueci de por as próprias calças e, feliz da vida, fui para frente de casa. Passou um vizinho, acenou meio constrangido, depois outro que abaixou a cabeça e, enfim, uma vizinha que nunca havia me dado sequer um "oi", com um sorriso enorme estampado no rosto lindo. Áh, que bela morena! E tão, como dizer isso? Tão, sei lá, "dadinha"? Mas, enfim, como sou um verdadeiro garanhão fiz o que sei fazer quando uma mulher bela me dá bola: pus as mãos no bolso. Pois é. Ela sorrindo para mim - eu a via em slow - e eu tentando achar onde colocar as mãos. Duas. E ainda por cima tenho duas mãos e nenhum lugar para guardá-las. Evitei olhar para baixo, evitei lembrar das mãos, evitei ficar vivo mas tudo em vão. Lá estava eu, com aquelas coisas cheia de dedos sem um lugar certo pendurado em meus braços, de cuecas, sendo observado pela morena mais linda das redondezas. O que fazer? Bem, fiz o que um homem de moral faria: corri para dentro. E dei de cara na madeira fria. Adivinha? Eu havia fechado a porta com a chave para o lado de dentro, claro. Não poderia ser diferente. Sou uma pessoa normal, como qualquer outra, e isso acontece com todo mundo.
Porém, nem tudo estava perdido. Apesar da situação toda, pelo menos um dos problemas eu resolvi: onde colocar as mãos. Comecei a roer das unhas. Áh, destino, você não contava com minha astúcia. Me senti seguro por alguns instantes, quando fiquei agachado, abraçando os joelhos, com as duas mãos na boca, roendo, como um rato, uma parte de meu próprio corpo. Isso só pode trazer segurança. Certamente ninguém se aproximaria com medo da lepstopirose.
Organizei o pensamento, precisava agir antes que alguém chamasse o pessoal da "carrocinha" ou do departamento de resgate de animais exóticos. A morena em slow ainda estava lá, agora acompanhada por algumas amigas, todas felizes, rindo muito. As unhas terminando e meu tempo também. Olhei para o meu dedinho mingo da mão esquerda, só restava ele. Senti pânico. Minha vida estava acabando junto com minhas unhas. Olhei a porta fechada, olhei para a pequena multidão na rua, suei gelado, tentei lembrar de alguém que eu pudesse pedir para me abastecer de chocolate no presídio, roí meu último pedacinho e... Vitória!
Lembrei que a porta não trancava sozinha, bastava abri-la.
Ainda ouvi algumas risadas mas corri para dentro feliz com minha memória. Pôxa, ela me tirou de uma situação e tanto e - quer saber? - nem é tão ruim assim. Mais: a morena também não era um exagero de bonita. Meio "infantilóide", até.
Que? E isso não é assunto sério? Oras... Áh sim, quem é a pessoa mais esquecida do mundo? Não sei, esqueci!

7 comentários:

Cisticerco disse...

Rs... que bom que era um assunto sério.
Fantástico.
E parabéns pelo seu prêmio.
Um grande abraço,

Cisticerco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Ótimo... doeu a barriga de rir...
é uma situação comum mesmo.. sempre vejo gente pelada em frente de casa.

Samara

Letícia disse...

Imaginei você andando com as calças caindo. Eu precisava mesmo rir um pouco.

E li sobre o concurso, Beto. Parabéns. E ninguém te segura. Admiro isso em você. =)

Beijo.

Daisy Serena disse...

hahahaha.
Ai, eu ja fui pro inglês uns anos atrás com a saia do avesso, para a escola com bob na franja.
uma desgraça. hahaha.

Adorei o texto, como sempre!!!!!

Beijao beto

Biba disse...

Oi Beto!! Bom vir aqui e poder rir um pouco ou muito!!! Você é engraçado mesmo.

Beijos
Carpe Diem!!

Maverick disse...

Ola meu amigo do lado de la.
Excepcional a forma como voce pega no assunto mais banal e vira sorriso e bom onda para um dia ou como eu para uma noite calma.
Isso tem nome, isso e dom meu amigo.
Aqui em Portugal dizemos em tom amigavel e de amizade... ganda maluco
Bola pra frente Beto
Siga ai na onda certa.
Abração para ti
Beijo para ELA