Um pouco de doçura e a solução


  • Limpe e lave o arroz.
  • Em uma panela ferva a água com sal. Junte o arroz e cozinhe até secar a água, da maneira convencional.
  • Quando a água secar, acrescente a manteiga e o leite, e cozinhe por mais alguns minutos até secar um pouco.
  • O ponto do arroz deve ficar bem cremoso.

Pronto. Assim se faz arroz de leite. Eu gosto que coloquem também leite condensado e canela em pó por cima, mas não é orbigatório. Viu? Nem tudo é tragédia e coisas ruins. Este doce, por exemplo, é simples, com ingredientes básicos, acessível para muita gente e gostoso, muito gostoso. Nem tudo está perdido, talvez eu seja um alarmista quando fale que a humanidade é perversa, que está doente, que somos um povo de duas caras e tal. Minha nova teoria é Arroz de Leite. Claro que tem os que preferem, por exemplo, quindim. O que é um verdadeiro absurdo. Gastar ovo - que deve ser feito frito, com a gema mole e a clara dura, na manteiga, com um pouco de sal - para fazer um doce amarelo com uma forma estranha, cônica, e ruim. Essas pessoas não merecem a menor consideração. Deveria haver alguma associação para proteção e bom uso do ovo.
Tem, também, os admiradores de trufas com rum. Isso mesmo: rum. Aquela bebida de fazer caipira posta em uma trufa. Esse caso é sério, mexe com algo imenso e poderoso. Imagino uma Ong: Rum e limão, nada mais, fazendo protestos no mundo todo contra este absurdo. O que pensar desta gente? Que tipo de pessoas são essas capazes de tamanha atrocidade? Seres assim tem condições de viverem em sociedade? Claro que não! Elas deveriam ser presas, a pão (francês, sem gergelim e dormido) e água (da torneira) o resto da vida ou, melhor ainda, serem postas em campos de trabalhos forçados, no México, na fábrica da Bacardi.
E o pior (sempre o final é reservado pra ele): Pudim. Pois é. Um dos doces mais maravilhosos que já inventaram, também fácil, barato e com poucos ingredientes. Mas, então, qual problema? Pois eu respondo, com ânsia e revolta: côco. Isso mesmo. Algum desavisado e sem uma célula gustativa sequer, inventou o pudim de côco. Essa nobre fruta serve pra fazer cocada - repito: Cocada! e não pudim, que deve ter apenas leite condensado, açúcar, alguns ovos e pronto. Eu não admito isso. É demais até mesmo pra mim, um cara sereno e calmo. Nem cadeia nem campos de concentração: a uma pessoa que comete uma heresia dessas proponho à morte, paredão. Imagino esquadrões de extermínio aos adoradores do pudim de côco. Eles merecem, afinal, não são do bem. E já que é assim, que as milícias combatam todos que não prestigiam o arroz de leite (se é o melhor doce, é inaceitável que gostem de outro qualquer). Morte a todos os que não prefiram arroz de leite. E para evitar problemas futuros: morte a todos que gostem de outros doces, morte a essa gente que só faz intriga. Morte a todos. Então, depois de feito o serviço sujo - alguém afinal tem que fazer - o mundo terá paz e harmonia. Somente com os certos, os corretos, os que gostam de arroz de leite, teremos um mundo melhor, de acordo com nossa sabedoria e conhecimento, um lugar justo e bom para se viver e, enfim, poderemos festejar a certeza de que a humanidade tem mesmo jeito, de que realmente estávamos certos. Viva a humanidade! Viva a paz! Viva o arroz de leite!
Me deu uma vontade de tomar sorvete de baunilha com calda de chocolate. Quente, calda quente! E chocolate meio amargo. O único que verdadeiramente deve ser chamado de chocolate.
 

6 comentários:

angela disse...

1.Gostos não se discutem, já dizia uma velhinha comendo "ranho"... Prefiro a diversidade e o poder de escolha. Posso comer sempre a mesma sobremesa, mas sinto-me mais feliz de escolhê-la entre tantas outras outras expostas no buffet. Essa idéia de eleger e aclamar o melhor, em desvalia do outro, me fez lembrar do teu texto de outro dia sobre os "megacolonos", e sua introjetada supremacia ariana (eu suponho). Não acho uma boa!
Além do mais, para ser dos deuses, qualquer arroz de leite precisa de um incremento de leite condensado e creme de leite. Muitas calorias!!!
2. Falando em "a humanidade ainda tem jeito" vale a pena analisar a notícia de hoje no RS, sobre o ladrão que roubou um carro em Passo Fundo e quando percebeu que havia uma criança dormindo no banco de trás, ligou para a polícia avisando, não só informando a localização do carro, mas reclamando da irresponsabilidade dos pais. Pode???? "O bom ladrão!" - um sugestivo título de livro tratando da essência do ser humano.

Beto Canales disse...

É claro que todo o texto não passou de uma ironia descabida. Em questão não estão as sobremesas e sim que por um motivo fútil qualquer podemos agredir e transgredir o que quer que seja e, na verdade, apesar de toda retórica, não há muito o que comemorar.
O bom ladrão não irá ao inferno, já que "salvou" uma criança?

carla rossa disse...

Já estou morta! eu que amo torta de limão,.....

carla disse...

Ah, e detesto arroz de leite e sagú.

Beto Canales disse...

Ainda havia chance com a torta de limão... mas detestando arroz de leite? Nem pensar...

Anônimo disse...

Eu gosto, mas tem que estar quente....rsrsrs

Carmem