Presunção e gente chata

- Tem uma garrafa quebrada aqui! Que saco, sujeira prá eu limpar. Vida chata.
- Tem uma garrafa quebrada aqui! Que bom, será o anúncio para abandonar a bebida? Nossa vida vai melhorar a partir de agora.
- Tem uma garrafa quebrada aqui! Puta merda, e era a última gelada. Não é fácil uma vida assim.
Desculpem as repetições, mas são necessárias. 
Tenho uma implicância explícita com quem diz "com certeza". Já li a respeito e não sou o único. O que me deixa estupefato é a presunção desta gente. O cara na tranqüilo, caminhando na rua, chega alguém para puxar conversa e pergunta:
- Chove amanhã?
- Com certeza! - responde com a maior cara de pau. Como assim? Quais dados dão a certeza ao sujeito? Ele é metereologista e acabou de sair de uma previsão infalível? Esta famigerada expressão serve pra qualquer coisa, desde resposta pra "você me ama?" até para aceitar um convite. Eu tenho milhões de dúvidas e incertezas e essas pessoas sabem "com certeza" que seu time de futebol vai ganhar. É muito pra mim.
Pois há uma garrafa quebrada. Essa é uma certeza. Mas o que ela causa ou representa, depende de quem a vê. Os mesmos cacos podem ser bons, ruins ou mesmo irrelevantes. Qual a ligação entre uma coisa ou outra? A certeza. Ela é variável, inconstante. Com certeza para um, a garrafa quebrada representa uma luz, uma esperança para uma vida melhor. Para outro, com certeza uma coisa péssima, afinal, terminou a bebida, e para outro ainda, com certeza somente mais trabalho: terá que juntar os cacos. Todos os três "concertezamente" certos. A mesma cena representa coisas corretas e distintas para todos os personagens. Sabe qual a conclusão disso? Mesmo que se tenha certeza, o melhor é o silêncio. Todos podem ter a tal certeza e serem, sentirem ou fazerem coisas distintas.
Aí nasce um problema enorme, por vezes insolúvel. Quando todos não tiverem razão ou quando todos a tiverem teremos o caos.
Poderia terminar este texto usando a expressão "com certeza" e fazer uma sátira de vigésima categoria, mas vou evitar isso, ...



15 comentários:

Robson disse...

hahaha adorei esse texto Beto, mas não posso ficar muito empolgado não... o outro lado disso tambem não é bom, incertezas demais causam um efeito parecido.
Mas tenho aversão a " Donos das verdades e das certezas",afirmo isso com certeza!
Quanto a times de futebol... idem!
hahaha abraço meu amigo!

Adriano Queiroz disse...

Isto é implicância, mas sou implicante com muitas coisas também, confesso.
Uma personalidade que acompanha nesta aversão ao "com certeza" é a Rita Lee, uma vez ele escreveu um artigo sobre isto. Tá bem acompanhado.
Abraços.

Jana disse...

Certezas demais ou certezas de menos são igualmente prejudiciais.
O problema é justamente encontrar a medida.

Abraço
:)

Beto Canales disse...

Ola Jana.

Concordo contigo, são duas situações terríveis, mas certamente os "de menos" não dizem "sem certeza"... Obrigado pela visita.

Adriano, implicar pode ser uma arte. Tenho (e cultivo) várias Hehe
Não sabia da Rita Lee. Estou bem acompanhado mesmo. Abração,

Robson, com certeza o Internacional se classificará para a Libertadores do ano que vem. Hehe

Extase disse...

concerteza..... pior que isso é legal, a palavra mais sem sentido que eu conheço

Afobório disse...

exatamente, asssim como um carro que anda de 0 a 100 por hora em cinco segundos, uma pergunta chega a 100% de afirmação?

acho que não, concordo com vocês aí de cima.

a verdade absoluta não existe.

Li o livro A Verdade Absoluta

do Lucena e chegei nessa verdade que não pretende ser absoluta.

parabéns pelo blogue.


sorte e luz, voltarei por aqui.

Desarranjo Sintético disse...

Bah, com certeza concordo com você! ahahahaha! Nunca tinah parado para pensar, mas "com certeza" é assim. Cada um pode ter a sua certeza e a certeza de umpode não ser a certeza de outro.
Muito interessante. Gostei do texto.

Abraço.

Fábio.

Beto Canales disse...

Acho que este blog é o único que tem comentários melhores que os textos. Ainda bem.

felipe lima disse...

O melhor é o silêncio, apesar das supostas certezas (que para mim, particularmente é algo muito difícil de lidar). Lembra daquele lance de falar menos? É isso que nos falta. Falar menos e ter certezas de menos, afinal de contas quem é que sabe de algo aqui? Abraço, Canales.

felipe lima disse...

Do outro lado: e qual é a vantagem em não saber de nada?

Beto Canales disse...

Sei lá Felipe, do jeito que a coisa anda, o "não saber" tem o seu valor...

Jana disse...

Ainda não assisti Pequena Miss Sunshine.
Mas essa cena arrepiou só de imaginar.
Credo.
É duro saber que as coisas funcionam assim.

Abração.
:)

Guilherme Cristofani disse...

Nossa, esse lance de repetição já foi uma monomania minha... acho que agora superei.

Acho que entendo o que você quer dizer... tudo poderia ser diferente ao mesmo tempo! A pergunta é: o que nos impede de sermos diferentes? Quais são as certezas que não estamos dispostos a abrir mão? Acho que isso vai para além da boa (ou má) vontade das pessoas... passa pelo nosso meio.

Kauana Resende disse...

A certeza é vã irmã do erro. Quantas vezes tive certeza... Quanto mais passam os dias e o tombo é proporcional à minha certeza. O fato é, cada um de nós, cedo ou tarde daremos espaço ao erro com um simples " com certeza", disso tenho certeza. ( haaa! olha o erro aí! ;D)

Anônimo disse...

Hello
xanax drug
Levels of alcohol seen in some of these patients have been lower than those usually associated with alcohol-induced fatality.
[url=http://www.sistersandroses.com/]alprazolam xanax[/url]
Death has been reported in connection with overdoses of alprazolam by itself, as it has with other benzodiazepines.
http://www.sistersandroses.com/ - buy alprazolam
Levels of alcohol seen in some of these patients have been lower than those usually associated with alcohol-induced fatality.