Amante

Não sei, não sou um cara tão forte. Ando com medo. Piadas à parte, como aquela que diz Jesus morreu, Sócrates morreu, Aristóteles morreu, Sartre morreu, Da Vinci morreu e eu mesmo não ando muito bem, a verdade é que não ando muito bem mesmo. E têm coisas que nem um coração de ferro suporta. Uma relação de quase quarenta anos, diária, sem nenhum diazinho nublado sequer sem algum tipo de contato, algum cantinho de olho, tem que ser respeitada. Começou ainda na infância, com alguma resistência, meio na obrigação, até, mas começou forte, com cobranças e tudo. E apareceu, desenvolveu, cresceu, envolveu (meu? o que aconteceu? termina tudo em eu?) e estamos juntos até hoje. Claro, assumo, não sei lidar ainda com ela como merece, mas chego lá. Me esforço para isso. Sei que é difícil, sempre soube disso, mas nunca desisti. Não é fácil mas o prazer - áh o prazer - é enorme. Ela me emociona, me encanta. Quer saber? Me seduz, excita-me. Eu rio, choro, lamento, xingo e fico de queixo caído a toda hora. Não tem este problema de ciúmes. Ela mostra vários caminhos, ela é o próprio caminho. Completa, cheia de sins e nãos, de nuances e mistérios, caprichos e belezas, cheia de detalhes. Ela canta, floreia e norteia o que sei. Encanta. Ela ensina o que preciso e mostra a vida como em um manual.
E agora, depois desses anos todos, tudo bem que fui avisado, mas vem a mudança. Com data marcada e tudo. Não vou resistir. Sei que é para melhor, sei que o futuro dela será mais ameno, sei que será mais usada (isso é bom?), mas não resistirei. Meu coração desabará. É uma mudança essencial, obrigatória, mas é muito pra mim.

Adeus, minha boa e fiel companheira língua portuguesa. Não sobreviverei as tuas mudanças, principalmente o falecimento do meu sinal ortográfico preferido.

Preciso fazer algo: Lingüiça de sagüi ninguém agüenta, digo tranqüilo: é líqüido e certo, exeqüível, que de pingüim é melhor. Como com freqüência, umas cinqüenta vezes por mês.
Não é o suficiente. O que será de mim sem uma palavra escrita desta forma: qüinqüenal. Um zumbi? Acho que de cinco em cinco anos ressucitarei para matar as saudades, principalmente do trema. Não é justo o que fizeram com ele. Qüinqüenalmente voltarei e colocarei trema em uma palavra qualquer que não seja müller.
Arrá, o doce sabor da vingança.

Tchäu.

16 comentários:

Adriano Queiroz disse...

Ela vem mudando levemente, agora com toda a polêmica que sentimos mais.

Eu às vezes sou contra e às a favor.
Estou em dúvida ainda.

Abraços.

Cara de 30 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cara de 30 disse...

Seremos todos semi-analfabetos... Sem idÉias... Sem VÔos mais altos... Como seguiremos de agora em diante???

Letícia Palmeira disse...

Como você costuma fazer:

Plac, Plac, Plac.

Você é um excelente escritor e tem senso de humor. Nada pior que escritor deprimido falando sobre tristeza o tempo todo.

Adorei.

E que venha a nova língua.

JORGE LOEFFLER disse...

Essa mudança é completamente desnecessária. Atende apenas ao mercado livreiro, especialmente o voltado à área didática. Necessário lembrar o volume de árvores a serem derrubadas. A Internet encarregou-se de definir nosso idioma como português brasileiro. Não tem nada a ver com o falado em outras nações. Aqui se você disser que tomou uma "pica no cu", é um escândalo. Pois aqui diríamos uma injeção na bunda. Lá eles dizem "vou saborear uma punheta" e nada tem a ver com masturbação, pois se trata de um prato à base de bacalhau. Se alguém gritar na rua "puto, venha cá", nada demais, pois apenas estarão chamando um guri. Ora se tais diferenças irão continuar, por que a preocupação com os acentos gráficos. Façam-me o favor. Querem é derrubar este pobre sexagenário que em sua aposentadoria decidiu traças algumas linhas em textos para ocupar o seu ócio.

Germano Xavier disse...

É,

e que venha a nova-velha língua!

P.S: O correto é nova-velha ou novavelha?

Preciso estudar tudo de novo.

Abraço, Beto.
Qualquer dia te mando alguma coisa para o site.

Feliz 2009.
Continuemos...

Silvares disse...

Beto, da parte que me toca vou continuar escrevendo como sempre escrevi. Nunca tive dificuldades com o Português de quem quer que fosse. Brasileiro, angolano, caboverdiano, moçambicano, sãotomense, timorense, do norte ou do sul de Portugal, falem-me português e o meu coração balança! Na Galiza sinto que estou em casa e os galegos falam cá de uma maneira...
Para ler nunca tive problemas também. Leio português e leio espanhol. Leio francês e inglês, arrisco até um pouco de italiano. Este acordo ortográfico não me diz nada. Não vai alterar nada. Quero que o acordo seja muito feliz, não vou fazer nada para o incomodar mas quero também que me diexe viver a minha vida, falar a minha língua, escrever o meu prazer.
Bom Ano com ou sem acordo ortográfico.

Kau'S disse...

Ha ha! Adorei o texto, super esperituoso! Querido, com certeza você não é o único a se entristecer com a mudança certa! E como será díficil mudar, parece que o português vai perdendo o brilho... Mas seja o que for ainda sim o saborearemos de vez em sempre ;D
Feliz ano novo meu bem!

Maverick disse...

Amigos olham mais uns anos atras e vejam se nao concordam que PHARMACIA nao faz sentido hoje. Pois bem amanha tambem estas manias de hoje o farão.
Não gosto mas dá um não sei quê de vida.
Fiquem bem
Bom ano, bom renascimento, ... ja cheira a carnaval aqui do outro lado do azul.
Um beijo pra ELA Beto

eliane disse...

Ahahaha. Linguiça, cinquenta, muller. Müller, cinqüenta, lingüiça. Eles continuarão a ser as mesmas coisas que representam, com ou sem o trema.
Lembrei de uma coisa que sempre me deixa furiosa: as trocas das formas de dinheiro. Explico: as notas de um, cinco,etc, e as moedas. De tempo em tempo, o governo muda tudo. Gasta um horror fabricando dinheiro diferente, sem que deixem de valer o mesmo de sempre, ou seja, nada.
Mas é não ter o que fazer nessa vida, não acha? Tanta coisa precisando uma ajudazinha, uma reforma, uma atenção. NÃO! Eles preferem trocar a cara dos dinheiros, tirar e colocar acentos nas palavras, juntar e separar palavras, essas coisas.
Fico louca de raiva.
Um tempo perdido, dinheiro posto fora, atrapalho na vida das pessoas, em vez de procurarem simplificar.
Enfim... já fiquei braba de verdade, e não acho que deva continuar braba.
Feliz ano novo, Beto. Com trema ou sem trema.

( Syl ) Sylmar Signoretti disse...

É mudanças,aff!
O sobrenome da minha mãe perderá o charme, logo agora que aprendi onde colocá-lo rsss "Lö Feudo".
Saudades de vc, volta logo.


Bjs

Luiz Calcagno disse...

Estou rindo aqui. FeliZ, ANo nOvo! Abraços

Luiz Gonzaga disse...

Lingüiça ou linguiça... Nunca deixarão de ser linguiças.

Nunca fui fâ do trema, mas te entendo e respeito.
abç.

Afobório disse...

olá meu garoto, como vai?
bem, férias a parte, cá estamos nós aqui mais uma vez, hehehe.

confesso que tomei um susto com essa estória de amante, hehehe, mas realmente, ela irá embora, alguns sinais farão falta, ao menos para nós, os mais experientes, esse como aqueles casos que hão no casamento, sabe, não é fácil não esquecer a toalha molhada em cima da cama, hahaha, mas brincadeiras a parte, está muito bom, como sempre.


sorte e luz.

Afobório disse...

olá meu garoto, como vai?
bem, férias a parte, cá estamos nós aqui mais uma vez, hehehe.

confesso que tomei um susto com essa estória de amante, hehehe, mas realmente, ela irá embora, alguns sinais farão falta, ao menos para nós, os mais experientes, esse como aqueles casos que hão no casamento, sabe, não é fácil não esquecer a toalha molhada em cima da cama, hahaha, mas brincadeiras a parte, está muito bom, como sempre.


sorte e luz.

Flávia disse...

Eu totalmente estou revoltada com essa reforma ortográfica. Tanta coisa rpa mexer, vão mexer na língua?

O meu sagüi sempre vai ser com trema. E ai de quem mexer no meu acento.

Beijo!