Os ridículos, a lagoa e a gueixa

Têm coisas que me irritam e coisas que acho ridículo. Claro, tem as coisas belas também, que me encatam, mas não é sobre o que vou falar agora.

Ontem ouvi um cara dos seus 50 anos, um gordão, dizer o seguinte: "Um dia andei por uns cinco ou seis quilômetros fazendo cavalo-de-pau". Isso me irrita. Temos duas alternativas: ou o cara estava mentindo, o que faz dele um idiota, ou ele estava dizendo a verdade, o que faz dele um idiota ainda maior. Pô, gordinhos de 50 anos não deveriam ser atenciosos e engraçados? O pior que ele falava para um adolescente que fitava-o com cara de paisagem. Certamente o menino tinha mais juízo e cérebro que ele. Este tipo de atitude enlouquece-me. O que faz uma pessoa adulta pensar que uma atitude infantil e perigosa como esta pode ser alvo de exibicionismo? Só pode ser a falta de inteligência mesmo.

Quanto a achar ridículo, também ontem aconteceu uma situação. Sou do tempo que acampar era uma aventura. Já fiz isso em lugares - beira de rios isolados - onde o 'banheiro' era na terceira moita à esquerda, e lugares que nem moita tinha, em praias desertas que depois do sol se despedir, a única luz era de um farol que passava e passava, a cada pouco menos de um minuto. Nossa, como tudo era romântico e prazeroso. Sem luxo, sem nada, na verdade, e o próprio ambiente tratava de estimular desejos e prazeres por vezes longe de nosso alcance. Claro que precisamos ajudar. A natureza assim como oferece também tem suas exigências. E uma delas é a noção de ridículo. Pois ontem, também ontem - que dia - fui à Lagoa dos Patos, em uma praia fantástica, de areias brancas e água doce e calma. Antes desse paraíso, um camping que, claro, fui conhecer. Lugar bonito, com alguma estrutura, dois matos de árvores antigas e grandes, vários banheiros, todos longe como convém e a cena: um rapaz sai de sua barraca, cerca de 70 metros das "casinhas" com um rolo de papel higiênico na mão como se fosse um estandarte. Aquilo se desenrolando e quase arrastando no chão e ele em frente, altivo e seguro de que todos deveriam saber o que ele iria fazer. Se tivesse serviço de alto-falante provavelmente anunciaria: "Atenção, atenção, vou fazer o número dois", não, ele não teria tanto polimento. Seria assim: "Atenção, atenção, eu vou dar uma cagada". Sabem por que meus acampamentos em lugares mesmo sem vaso sanitário eram românticos? Provavelmente por que nunca vi ninguém com um rolo de papel procurando uma duna mais alta ou a terceira moita. Um pouco de discrição é tão essencial para vivermos civilizadamente quanto as necessidades básicas.

Meu ideal de coisa ruim seria juntar os dois, o gordinho e o sujeito do papel, na mesma barraca por uns dois dias. Eles cometeriam suicídio, para o bem da humanidade. Não suportariam nada mais desagradável que eles mesmos como concorrência.

Coisas belas? A própria Lagoa. Linda, maravilhosa, abraça a gente com suas águas na temperatura exata.

E um poema, chamado Gueixa, escrito por Sheyla, que é imperdível. Simples, pequeno e belo, além de dar o recado. Como os civilizados.







8 comentários:

felipe lima disse...

Há coisas que irritam. Seus textos - sem babação - me encantam.

ks disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beto Canales disse...

Obrigado Felipe. Fico lisonjeado de ter um leitor como tu.

Adriano Queiroz disse...

Basta ter ouvido e olhos para presenciar algo do tipo.
E cérebro pra não comprar uma arma e usá-la. Resta paciência e as palavras para nos vingarmos.

Abraços.

Luiz Gonzaga disse...

Ainda bem que eu não ando armado, e aqui não tem prisão perpétua.

Letícia disse...

Beto,

Também me irritam certas coisas, mas eu sou do tempo de levar desaforo pra casa. O "gordinho e o sujeito do papel" que vc encontrou por aí também existem por aqui. Eu olho essas pessoas e digo: Parem o mundo. Quero descer.


Beijos.

E demorei a visitar seu blog porque a mula empacou. =)

Mai disse...

Quase tudo que é ruim, irrita.
Galvão Bueno e o Gugu me irritavam. Não me irritam mais.
Não vejo mais televisão.

Adoro ler você e a Letícia.
E não me irritam, nunca.
Mesmo quando 'mulas empacam'...

Abraços,
apareça...

Maverick melhor que Opala disse...

Olha Beto esse texto esta maravilhoso. Parece penalti saindo pra esquerda quando no ultimo instante sai para a direita mas o goleiro tem golpe de rins.... E bom passar por aqui e partir o coco a rir e chorar.
Acho que essa gente cruza seu caminho so para voce escrever sobre eles.
Sera que o rolinho era para limpar a caca do gordinho?

Valeu pela Sheyla, gira... criativa... pouco comum, apreciada por certo, um beijo pra ela.