Texto chato, assunto chato

Coisas da vida. Da minha vida. Sempre que falo no Inácio, sabe, eu começo as frases com "sabe". Além disso, dia desses escrevi e, agora, , estou sempre escrevendo "". Decerto se eu falar no Inácio, , sabe?, ficará assim. Esquisito. E tem mais: comecei a escrever também ráá... Que quer dizer exatamente isso: ráá. Chega a ser uma forma resumida de arrá. Algo como gozar alguém. Não em ou com. E a pronúncia não é -á. É mesmo. Escrevo com dois "as", sabe por quê? Porque é meu. Ráá. , tenho liberdade de fazer como gosto, mesmo que seja feio. E é feio mesmo, manias são assim, horrorosas. E a de escrever ráá e são terríveis.

Bem, mas este texto não é para tratar nada disso. , na verdade, é sobre política. As coisas pela terra brasilis andam cada vez piores. Decência e consciência estão tornando-se coisas raras. Até que o Inácio, ráa, , sabe, anda calmo. Talvez pela marolinha da crise que chegou com aviso ou pela nova Dilma. Sei lá. Tudo calmo. Mas o partido dele, este, , de mal a pior. Aqui no sul, um prefeito do PT, convidou para secretário um senhor notoriamente de direita que nem na cidade em questão residia, adversário histórico do partido do próprio prefeito. Pode uma coisa dessas? Os nomes desses senhores (Jairo Jorge, o prefeito, e Cesar Busato, o convidado) nem vem ao caso, por serem desconhecidos (sorte) por esse país afora, mas a falta de programa, de ideologia, de caráter é assombroso. Os caras, ou seus partidos, passam a vida falando mal um do outro, com programas antagônicos e, como quem convida alguém para dançar, tornam-se prefeito/secretário em um estalar de dedos. Erro gravíssimo de quem fez o convite e não menos grave de quem aceitou e mais grave de seus partidos que não os expulsaram sumariamente.

Bem, isso ocorreu a nível municipal no interior do estado. Causou um mal estar geral. Aí lembrei do Inácio, sabe, ráá, e o Sarney, por exemplo. Ou aquele outro das vacas alagoanas que valem mais do que as premiadas com genética apurada. Ou o honroso ministro Lobão. Ou, melhor ainda, do Severino chiq-chiq que comprou várias boutiques. Ou tantos e tantos outros que são governos sempre. Tempo dos milicos, governo. Da Arena e MDB, governo. Do Sarney, governo. Do franjinha tarado, governo. Collor, governo. FHC, governo e agora, Inácio, ráá, , sabe, governo, e aí fui ver que o digníssimo prefeito de Canoas tentou fazer não é inédito. Ele copiou os chefes. Mas lá, temos a desculpa de "tudo pela governabilidade" e aqui não. Então, fizeram o certo: o cara "desaceitou" e foi procurar a turma dele.

Na verdade, é isso mesmo que o Inácio, , ráá, sabe, deveria fazer também. Mas não podemos viver sem eles, que nos governam desde um distante primeiro de Abril. Deve ser isso o tal pacto de governabilidade: eles mandam e nos sugam, e nós votamos sem diferença alguma.

Inácio, sabe, , rrá, está ganhando discípulos na arte de juntar óleo e água. Ou é tudo água, e suja?

Talvez o olhar aqui mais do lado esquerdo esteja prejudicado, e ando vendo coisas!

Nossa, um sapo azul subindo pelas paredes olhando para mim:

- Oi sapo!


9 comentários:

Germano Xavier disse...

Lembrei das pontadas que o José Simão dá na Ilustrada do jornal Folha de São Paulo.

E o texto que mandei, Beto. Vai servir?

Qualquer coisa, é só dizer.
Abraço forte.

Continuemos...

Mai disse...

Mas a era photoshop já fez milagres e fez, nova, a mesma Dilma.
Mas a cosmética-estética faz essas mágicas.
'Ráá' (gostei do teu 'ráá', posso? me autorizas?)
A questão não é essa.
Ser ou não-ser uma
nova-mesma-bosta.
Novas ou velhas, a matéria intestinal é a mesma.
Sei lá!!! Sabe? Entende? Pô!
Enquanto isto o mundo canta
Guantanamera....
E o fato, o novo mesmo,é o anúncio do fechamento de Guantânamo.
Adoro ler aqui esse teu lúcido pileque.
Vai passar...

Bem pouco mais sobre mim... disse...

Um barato, como sempre.
Beijos pra vocês!

Letícia disse...

Um sapo e você está com tic nervoso. E não tem jeito, Beto. O Brasil é uma república que deveria agradecer à Napoleão por ter feito a família real vir se escorar por aqui. Só assim a gente tem faculdades e igrejas bonitas.

E é tudo a mesma coisa. Cada estado tem seu cacique e o país tem um chefe maior que nós sabemos - não é o Inácio (sabe, pô, rrá). Eu me imagino no lugar dele. Presidente, roupa bonita, charutos, cigarrilhas, bebidas e ele era da CUT, PT, Sindicalista. Mas é só colocar dinheiro na mão de um homem que a gente acaba sabendo que seus ideais são feitos de acetona. E por aqui, é a família Cunha Lima (O Ronaldo que bebe todas e o filho que cheira todas). O prefeito - me parece - ainda se salva. Mas ninguém sabe o que o poder pode causar à alguém.

- Oi sapo!

Bjs, Beto.

Adriano Queiroz disse...

Esta prática é mais velha do que cagar sentado.
É de um descaramento absurdo.

Abraços.

PS: - oi sapo.

felipe lima disse...

O sapo azul anda querendo te levar pra conhecer o mundo de outra maneira.

george araújo disse...

rá!
política para quem precisa de política.
hehe

abraços
>>


p.s.: sapo azul?

Maverick melhor que Opala disse...

Oi esse sapo ai ta sendo falado Beto, voce acha que ele vai seguir politica?
Nao apreciei o texto mas adorei o golpe de rins do final, tipico Beto Canales.
Tem comentario bom nesses forum, so o meu é uma caca :-S
Pessoal nao acham que fica meio lugar comum falar mal de politico e daquilo que fez, e que os outros sao todos maus e eu vou domingo a missa e nunca fiz nada errado... bota opiniao pra fora, mas vamos passar ao lado da ideia facil de "ele é o mau"... O Bush ja foi embora para de atirar o Sadam pra frente do inferno... tem mais disso ai bem ao seu lado; e que ninguem se queira fazer Madre Teresa de Calcutá porque ninhum de nos tem moral para lhe beijar os pes sequer... ola pra frente, somos todos iguais e bons so que prova ser, aqui nao conta intenção, conta obra.Eu nao sou melhor, sou igual, se calhar uma caca, se calhar um santo... a ver vamos

Ricardo Valente disse...

Isso mesmo, oi sapo! Parabéns pela escrita, Beto, cada vez melhor... Abração!