Outro?

- Eu já estive lá. Passei horrores, mas as histórias realmente impressionantes foram as que vi ou ouvi. Comigo coisas de sempre, como ter que pagar uma espécie de pedágio para estar seguro. Serviço simples: quem não paga, morre. Pensando assim era até barato. Um maço de cigarros por dia para manter-me vivo. Aqui fora as pessoas gastam bem mais que isso e passam fome e frio. A comida não era boa, mas não faltava. E frio, com aquela gente toda, era impossível. Mais alguma briga aqui ou ali e foi isso. Os anos passam como dias. Claro que a falta das ruas é grande. Os prazeres do corpo, como agora, chegam a doer pela ausência. Mas as lembranças também ajudavam e, por vezes, acabavam substituindo a falta. No começo era pior, mas a gente desenvolve algumas habilidades extras, alguns sentidos específicos e suporta tudo com tranquilidade.
Leia mais clicando aqui!

4 comentários:

Mai disse...

E grázádeus,
estamos vivos...
E de alguma forma, teu texto fala de reclusão, seja do vício, seja da liberdade, seja do tempo em si.

E sobre se acostumar até com o que não presta, ....Não, eu juro que não vou falar em política nem de Brasília.
Eu ia falar que há coisas do passado que guardam em si nossa história, nossa identidade. São marcas e cicatrizes indeléveis.
Assim mostramos tatuadas em nós, as marcas da intolerância e a vontade de poder e de controle.
Só tu sabes a que memória te reportas aqui.
O que me ocorre é disto que te falo.
Precisamos nos libertar do que já não serve e que nos mantém em cárcere.

E sim, já te disse que poderás contar comigo e eu lembrei de um texto chamado toada de cambaio de Thiago Homem de Melo que fala sobre a vida que não vivi.
Abraços, amigo.

Ricardo Valente disse...

Achei sensacional. Um senão: poderia tirar o "muito" do finalzinho. (me soa melhor)
Abração!

Letícia disse...

Estive lá e aqui e vejo tanta verdade nos seus textos que vou acabar com medo de sair de casa. =/

mukecafilmes disse...

Ola,
Eu trabalho em uma produtora independente chamada Mukeca Filmes.
Estamos começando a produção de um curta metragem dia 03/08 que estará pronto no final de agosto. O curta chama “Gelatina`s Crazy”, do diretor Cesar Netto. Gostaria de saber se você tem interesse em colocar o vídeo no site para os internautas assistirem!
espero um e-mail de resposta.

abrigado pela atenção

Pedro Andrade ( pedro_andrade@mukecafilmes.com.br )