Coisas boas

Eu imagino Michelangelo com o pescoço duro, olhando para o teto da Capela Sistina com um sorriso de enorme satisfação. Aquela beleza toda, fruto de seu talento e trabalho. Imagino, também, um bebê olhando a reação das pessoas quando ele diz "blhgrm": só pode ser também a plena satisfação. Os dois, mesmo com habilidades diferentes, produzem algum efeito nos outros: felicidade, graça ou qualquer outra coisa. E é claro que isso os satisfaz. Faz bem e não poderia ser diferente. A sua obra interferindo, interagindo, sendo conhecida por outras pessoas, gostem elas ou não, é uma espécie de reconhecimento.
Pois por uma dica de uma escritora muito talentosa, Jana, cheguei até a Zan (que poderia ser Zen - tão alto astral e alegria que possui) da 3: AM Magazine Brasil (que também tem página nas terras da rainha Elizabeth II) e, resultado de tudo isso, estou com um conto publicado lá, com foto e tudo. (Por sinal, batida pelo meu filho de sete anos, praticamente um mágico). Confesso que agora que reli o texto encontrei alguns erros, mas, para ser bem franco, minha satisfação de ver aquelas palavras todas enfileiradas contando algo que minha cabeça dura criou é tanta, que isso deixou de ser tão relevante. Mas prometo melhorar no próximo.
Tenho dito que escrever é bom. Ser lido é ainda melhor. E essa é a oportunidade me foi dada. Não interessa o que produzimos, se uma palavra inaudível ou uma das obras mais belas feita pela mão humana para falarmos da satisfação do autor, e é disso que falo. Então, com todas as palavras: muito obrigado aos que leêm e aos que permitem que isso aconteça.
Meu ego agradece, satisfeito, claro.

10 comentários:

Adriano Queiroz disse...

"Quanto mais o proibido
Mais faz sentido a contravensão"
Este trecho é da música "Obrigado Não" da Rita Lee.
Traduz o que eu senti do seu conto.
Gostei muito.
Realmente ver algo que vc fez e poder dividir com os outros, é maravilhoso.
Parabéns, Beto!

angela disse...

Parabéns!!! Autorizar-se a publicar é um ato de coragem e coloca o autor num outro lugar, olhando a obra como algo independente, como se tomasse vida própria. Virão elogios e talvez críticas... que só te ajudarão a lapidar teu talento.
Que seja o 1º de muitos...
Angela

Cara de 30 disse...

É... Talvez um dia eu ainda chegue lá, quem sabe, talvez?!

Por enquanto é parabéns e boa sorte! :)

P.S.: Este não foi um comentário invejoso, ok?

Otilia Sabra disse...

"E a vida?
E a vida o que é, diga lá, meu irmão?
Ela é a batida de um coração?
Ela é uma doce ilusão?
...)
Há quem fale que é um divino mistério profundo
É o sopro do criador numa atitude repleta de amor
Você diz que é luta e prazer
Ela diz que a vida é viver ela diz que melhor é morrer
(...)
somos nós que fazemos a vida
como der ou puder ou quiser."

Que bom que estás fazendo da vida estes singelos momentos de realização e felicidade. Aos poucos a gente descobre como bem alimentar o Ego.
Bj

Luiz Gonzaga disse...

Opa!!! è isso aí, meu velho. Pra frente!

Jana disse...

Ei-láiá.
Que maravilha.
Também acho isso fantástico.
Por isso gosto de divulgar todos os meios que, de um jeito ou de outro, buscam incentivar e promover quem está produzindo, criando, inovando.
Porque tem espaço para todos nós.
Só precisamos exercitar nossa boa vontade.

Parabéns querido, de coração.
Continuemos nossa saga, nos metendo em todos os lugares que nos permitam se meter.
Rá!

Súper-abraço
:)

Jana disse...

Beto.
Acabei de ler o teu texto lá na 3:AM e achei fantástico.
Muito bom mesmo.
Parabéns.

Robson disse...

Super Parabéns Beto, pelo ótimo texto e pla publicação lá...
Ps: Nossa! fazia uma ideia totalmente diferente de você...algo mais cabelo e barbona grisalha e óculos.
Abração

Beto Canales disse...

Na verdade tenho a barba toda grisalha (e parte dos poucos cabelos tbm) hehe - e uso óculos para ler. É que meu filho não é fotógrafo, é mágico, daí... hehe

Abração e Obrigado Robson.

Vâmvú disse...

Vc escreve muito bem. Como disse antes to gostando muito. Parabéns!!
Vou tomar a liberdade de te linkar ao meu, ok?
Abração